fbpx
(66) 3423 1277 - (66) 99684-1054      cdlroo@cdlroo.org.br

Notícias

COMPARAÇÃO COM 2021: Otimista, comércio prevê incremento de 11,5% a 15% neste Dias das Mães em Rondonópolis

publicado em 2 de maio de 2022

As expectativas do comércio rondonopolitano para este Dia das Mães estão otimistas. É o que mostra um levantamento feito na semana passada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). No comparativo com mesmo período em 2021, os varejistas de diversos segmentos projetam incremento nas vendas entre 11,5% as 15% nestes dias que antecedem a segunda data mais importante para o comércio local.

A CDL ouviu lojistas de variados segmentos. De roupas, calçados e confecções a eletrodomésticos e eletrônicos. No geral, investimentos em estoque, mais opções de produtos e preços acessíveis. Esta tem sido a receita. Dos mais otimistas aos mais “conservadores”, mesmo a alta da inflação, na casa dos dois dígitos, não tende a frear os bons números em 2022.

Um lojista do ramo de confecções projeta ainda mais: 30% de incremento em relação ao Dia das Mães do ano passado. Dos produtos mais procurados, segundo os lojistas entrevistados, roupas e acessórios, smartphones, eletrodomésticos, fritadeiras “airfryer”, relógios smartwatch, copos térmicos e cosméticos em geral foram alguns dos citados na entrevista. O ticket médio esperado ficou na casa dos R$ 220.

Nacional

Levantamento feito em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offerwise, revela que 79% dos consumidores devem realizar pelo menos uma compra no período — o dado fica bastante próximo dos 77% observados em 2021. Em números absolutos, a expectativa é de que aproximadamente 127,2 milhões de brasileiros presenteiem alguém este ano, o que deve movimentar uma cifra próxima de R$ 28,16 bilhões nos segmentos de comércio e serviços.

O cenário econômico do país e a alta da inflação preocupam os consumidores: 80% consideram que os preços dos produtos estão mais caros este ano, se comparado com 2021. Em comparação com o ano passado, 37% dos consumidores pretendem comprar a mesma quantidade de produtos, 28% comprar mais e 17% comprar menos.

Em relação aos gastos, 33% esperam gastar mais este ano, principalmente para comprar um presente melhor (41%), porque os produtos estão mais caros (40%) e porque vão comprar mais presentes (25%). Por outro lado, 23% pretendem gastar menos, sobretudo porque o cenário econômico está pior que no ano passado (31%), devido ao orçamento apertado (28%) e para economizar (20%).

A pesquisa ainda revela que no Dia das Mães deste ano, os produtos campeões de venda devem ser as roupas, calçados ou acessórios (44%), perfumes (37%), chocolates (23%) e cosméticos (23%).

Em média, cada cliente deve adquirir dois presentes e as principais presenteadas serão a mãe (76%), a esposa (19%) e a sogra (18%). 25% dos entrevistados devem gastar entre R$ 51 a R$ 200 com os presentes. Já considerando a média total de gastos, o brasileiro deve desembolsar R$ 221,42. Entre os entrevistados, 43% planejam comemorar na casa da mãe, 29% em sua própria casa e 11% vão almoçar fora (com aumento de 8 pontos percentuais frente a 2021).

As lojas físicas aparecem como o principal local de compras dos brasileiros, 75% dos entrevistados afirmaram que pretendem comprar a maioria dos presentes fisicamente sobretudo nos shopping centers (31%) e em lojas de rua (24%).

A internet aparece como local de compra de 44% dos consumidores, uma redução de 13 pontos percentuais em relação ao ano passado, principalmente nos sites e lojas virtuais (36%). Considerando os que devem fazer compras em sites/lojas online, os mais citados são os sites de varejistas nacionais (58%), varejistas internacionais (43%) e de lojas de cosméticos (36%).

Para os entrevistados, os fatores que mais pesam na escolha do local de compra são a atratividade do preço (42%), a qualidade dos produtos (36%) e as promoções (32%).

O consumidor está atento aos preços e a grande maioria (81%) pretende fazer pesquisa antes de comprar os presentes, principalmente em sites/aplicativos (71%), nas redes sociais (41%) e nos shoppings (40%). E os sites e aplicativos mais utilizados para pesquisar preços são os de lojas varejistas (72%), os buscadores (65%) e os de comparação de preços (36%).

As principais formas de pagamento serão o cartão de crédito parcelado (34%), dinheiro (29%, com queda de 11 pontos percentuais em comparação com o ano passado) e PIX (26%, com aumento de 10 pontos percentuais frente a 2021).