fbpx
(66) 3423 1277 - (66) 99684-1054      cdlroo@cdlroo.org.br

Notícias

PÁSCOA: Varejo especializado projeta bons resultados nas vendas de Páscoa em 2022

publicado em 13 de abril de 2022

Nos segmentos especializados, varejistas de Rondonópolis projetam uma Páscoa doce e com as vendas aquecidas ao longo desta semana que antecede a data. É o que mostra um levantamento feito pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Rondonópolis (CDL). Otimista, especificamente este ramo do comércio local projeta crescimento de até 45% em relação ao ano anterior.

A venda de chocolates, é claro, está em alta. Cenário que favorece o nicho. Neste 2022, uma lojista voltada a este produto espera incrementar ainda mais os números com o aumento de 35% nas vendas de kits e cestas de Páscoa. A expectativa é de retomada da economia.

Outra realidade

Fora do especializado, no varejo em geral o sentimento já não está tão otimista assim para a Páscoa de 2022. Com a inflação em alta e a redução do poder de compra do consumidor, nos supermercados, por exemplo, a expectativa é que o foco se mantenha nos chamados itens básicos. “Quando a gente faz este recorte das lojas especializadas, temos ali um público consumidor específico. Geralmente classes A e B. Quando se fala dos supermercados se fala também das outras classes, B, C e D. Estas tem sentido com mais força os impactos deste momento de crise”, analisa um lojista ouvido pela CDL. “A inflação está comendo o dinheiro do povo e o poder de compra segue diminuindo. As pessoas seguem se adaptando a esta realidade. Os preços dos ovos de Páscoa também subiram muito e, por isso, o sentimento é que muitas família optem pelos itens de necessidade ao invés dos supérfluos”, completa.

Pesquisa CNDL/SPC Brasil

A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes para os brasileiros e deve movimentar o comércio este ano. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas, mostra que cerca de 109,2 milhões de brasileiros devem realizar compras para a Páscoa em 2022.

De acordo com a sondagem, 64% dos consumidores pretendem comprar presentes e chocolates para a data este ano. Desses, 47% pretendem comprar a mesma quantidade de produtos este ano em relação ao ano passado, 37% pretendem comprar mais produtos e 10% comprar menos produtos, uma redução de 5 pontos percentuais em relação a 2021.  O valor do tíquete médio será de R$ 215,33.

Para os que esperam ter um aumento de gastos este ano (41%), a principal justificativa está relacionada ao aumento dos preços. 47% dos entrevistados dizem que os preços estão mais caros, 43% que comprarão mais produtos, e 28% citam o pagamento facilitado em várias parcelas.

Em média, a expectativa é de que os consumidores comprem em torno de cinco produtos, entre ovos e barras de chocolate. Os principais presenteados serão os filhos (54%), os cônjuges (42%), a mãe (38%) e os sobrinhos (33%). Já 26% vão presentear a si próprios.

O estudo também mostrou que maioria (83%) dos compradores pretende fazer pesquisa de preço antes de levar os ovos ou demais produtos para casa, sendo que os locais preferidos serão os supermercados (66%), 48% em sites ou aplicativos e 37% nas lojas de shopping. Entre os que pesquisam preços na internet, 81% citam os sites e aplicativos de varejistas, 69% os sites de busca, e 33% os sites de comparação de preços.

Os ovos de chocolate industrializados são os preferidos dos consumidores (57%), seguidos pelos bombons/caixas de chocolate industrializados (47%), ovos caseiros artesanais (39%), e bombons e barras de chocolate caseiros/artesanais (33%).

Considerando os que querem comprar barras de chocolate e/ou bombons, 63% acreditam que o importante é celebrar, independente da forma do chocolate e 28% preferem por ser mais barato.

O pagamento à vista será a forma de pagamento mais usada na Páscoa deste ano, seja em dinheiro (46%) ou no débito (38%). Outros 34% pagarão no cartão de crédito parcelado. Entre os que pretendem parcelar as compras, a média será de 4 prestações.

Os principais locais de compra dos produtos para a Páscoa serão: supermercados (56%), lojas de grandes varejistas (45%) e lojas especializadas em chocolate (42%). De acordo com os consumidores, 75% têm intenção de comprar em lojas físicas, seja de rua (51%) ou de shopping (50%), enquanto 59% pretendem comprar pela internet, principalmente nos sites (28%) e no Whatsapp (25%).

Os fatores que mais influenciam a escolha do local de compra são: o preço (46%), a qualidade dos produtos (40%) e as promoções e os descontos (37%).

Apesar de já saberem onde farão suas compras, a maior parte das pessoas não parece estar disposta a agir com antecedência: 49% pretendem fazer as compras na semana anterior à Páscoa e 37% na primeira semana de abril.

Considerando o local de celebração, 61% pretendem comemorar em casa (com queda de 8 pontos percentuais em comparação a 2021), 15% na casa dos pais (sobretudo os mais jovens) e 14% na casa de outros parentes (com aumento de 7 pontos percentuais em relação 2021).

Uma prática cada vez mais comum é o “amigo-chocolate”. Este ano, 30% das pessoas ouvidas pretendem participar da brincadeira (um aumento de 6 pontos percentuais em relação ao ano passado), principalmente porque gostam de eventos sociais (17%) e por considerar que essa é uma boa forma de presentear gastando menos (9%).

Dentre os que pretendem participar de amigo-chocolate de Páscoa, a média é de 4 participações com um gasto médio de R$ 60,26 por presente. Considerando o ambiente e as pessoas com as quais a brincadeira será feita, 77% pretendem fazer o amigo secreto de Páscoa com familiares, 49% com amigos e 26% com colegas de trabalho.

Ainda que evitar comprar presentes em datas comemorativas possa ser uma alternativa para economizar e colocar o orçamento em ordem, para parte dos entrevistados, essa não é escolha: 30% dos que pretendem comprar chocolates e presentes possuem contas em atraso, sendo que 62% destes estão com o nome sujo.

Outro dado que inspira preocupação e denuncia o comportamento imprudente de alguns consumidores é que 25% dos que vão fazer compras na data este ano admitem que costumam gastar mais do que suas finanças permitem para presentearem na Páscoa e 8% até deixarão de pagar alguma conta para comprar chocolates ou produtos neste ano.